Monday, October 10, 2011

Resenha de Anything You Want, livro de Derek Sivers




 "If you think revolution needs to feel like war, you'll overlook the importance of simply serving people better. When you're on to something great, it won't feel like revolution. It'll feel like uncommon sense."

Mês passado terminei de ler o livro “Anything You Want” do Derek Sivers. Mais um livro que saiu pela nova empresa do Seth Godin, The Domino Project, um projeto em parceria com a Amazon. (Tenho uma série de resenhas engavetadas)

O foco principal deste projeto é lançar livros bem curtos porém com bastante conteúdo. Faz todo sentido. Num mundo corrido onde cada vez mais as pessoas têm menos tempo e mais necessidade de informação e até de uma forma mais rápida. Este formato aliado à ebooks e audiobooks, parece ser uma fórmula matadora. Há também os livros impressos além das edições especiais. Para ler no Kindle, gastei U$3.99.

O livro é contato em primeira pessoa, pelo próprio Derek. Conta a história da criação de sua empresa a CDBABY.com para satisfazer duas necessidades uma paixão pela música e uma necessidade de vender seus hits de maneira mais simples. Sabe aquela coisa de “coçar a sua coceira?” Pois bem, este é um caso claro para aplicação desta frase.

Ele procurava uma maneira de gravar seu CD e vendê-lo. Como era tudo muito burocrático, fez a sua maneira e montou um site com um botão “Clique para Comprar”, outros amigos com a mesma necessidade começaram a vender os CDs no seu site e daí em diante o negócio foi crescendo. Detalhe, ele não tinha sólidos conhecimentos técnicos para a criação de sites e de e-commerce. Ele era um cara que estava vivendo o sonho de ser músico.

Tudo começou praticamente como um hobby que virou um grande negócio e que foi vendido por 22 milhões de Obamas.

Gostei muito do Autor que começa o texto dizendo que ele é um estudante e não um Guru. Ele conta suas experiências e não quer ser o senhor da verdade. Ele conseguiu compactar 10 anos de história em um texto que pode ser lido em até 1 hora.

Abaixo alguns dos trechos que destaquei durante a leitura:
  • A maioria das pessoas não sabe porque estão fazendo o que estão fazendo. Elas imitam os outros, seguem o fluxo e caminhos sem fazerem os seus próprios. (Neste ponto me lembrei de um trecho do famoso discurso do Steve Jobs em Stanford) 
  • Você deve criar um negócio não pelo dinheiro e sim para tornar sonhos em realidade para os outros e para você mesmo. 
  • Criar uma empresa é uma grande maneira de incrementar o mundo enquanto você melhora a si mesmo. 
  • Seu plano de negócios é achismo. Você não sabe o que as pessoas realmente querem até você coloca-lo em prática. (Rework
  • O ponto principal de fazer qualquer coisa é estar feliz, então faça apenas coisas que o faça feliz. 
  • Um plano de negócios não deve tomar mais do que algumas horas de trabalho. Até não mais do que alguns minutos. Os melhores planos começam simples. Uma olhada rápida e o bom senso deve indicar se vai funcionar. O resto são detalhes. 
  • "Revolução" é um termo que as pessoas usam somente quando você já é bem sucedido. Antes disso, você é apenas uma pessoa peculiar, que faz as coisas de forma diferente. (Gostei muito disso). 
  • O sucesso vem de persistentemente melhor e inovar e não da persistência em prosseguir com o que não está funcionando. 
  • Quando estiver decidindo sobre fazer algo, se você sentir qualquer coisa menor que “UAU! Isso seria incrível! PQP fantástico!”–então diga NÃO. (Achei sensacional) 
  • Você sempre pode começar agora, com apenas 1 por cento do que você tem em sua visão macro. Vai ser uma versão protótipo da sua humilde macro visão, mas você vai estar no jogo. Você estará à frente do resto, porque você começou, enquanto outros estão à espera do ideal para então irem para a linha de partida, você já estará na linha de chegada. 
  • Comece pequeno e coloque 100% de sua energia para resolver problemas reais para pessoas reais. 
  • ... e não, sua idéia não precisa de financiamento para começar. (Você também não precisa de um MBA, um grande cliente, nem um endosso de uma certa pessoa, de um golpe de sorte ou qualquer outra desculpa comum para iniciar.) 
  • Idéias não valem nada se não forem executadas. Elas são apenas um multiplicador. Execução vale milhões. 
  • Tenha e mantenha o foco no seu negócio. 
  • Você não pode fingir que há apenas uma maneira de fazer ser seu negócio rodar. Sua primeira idéia é apenas uma das muitas opções. Nenhum negócio roda como planejado. Faça uns dez planos radicalmente diferentes do original. (Achei isso bem bacana. Essa parte do livro ele conta a história de um professor de música que fazia isso com as músicas dele.) 
  • Nunca esqueça o propósito de você estar fazendo o que está fazendo. Você está ajudando pessoas? Elas estão felizes? Está sendo lucrativo? Isto não é suficiente? 
  • Claro que você deve ser preocupar mais com seus clientes do que você se preocupa com você mesmo! Está não é a regra #1 para prestar um bom serviço? É tudo sobre eles e não sobre você. Este é o matra dos negócios. 
  • Inicie um negócio para solucionar problemas. Mas se o problema for realmente resolvido, este negócio não será mais necessário. 
  • Não puna todo mundo pelo erro de um. 
  • Pequenos detalhes fazem toda a diferença. Eles farão as pessoas contarem para os amigos sobre você. Se você fizer uma pessoa sorrir, ela vai lembrar disso mais do que tudo que há no seu plano de negócios. 
  • Tudo isso é sobre ser, e não ter. 
  • Delegue ou morra. 
  • Aquilo que você mais odeia fazer alguém ama. 
  • Aprenda ensinando. 
  • Confie mas verifique. 
  • A felicidade é a verdadeira razão para você estar fazendo algo, não? Tenha certeza do que te faz feliz e não esqueça disso. 
  • A empresa é o reflexo do seu criador. 
Eu adorei o livro, é bem objetivo, sem rodeios e tem um conteúdo fantástico. Cada vez mais acredito que não se tornar grande é o segredo da felicidade de vários empreendedores. Não há problema em ser pequeno. Derek mesmo diz que era mais feliz com 5 funcionários do que quando tinham 50. 

Se você quiser comprar o livro na Amazon, aqui está o link para o formato Kindle e aqui para comprá-lo no formato tradicional ou ainda em áudio.

Sobre a capa: 
A foto de D. Sharon, retrata de um menino na areia, momentaneamente isolado, representa o que é ser um empreendedor. Preso em um poço de areia fruto de sua própria concepção, mantido imóvel e desfrutando de cada momento.

Para alguns, é uma armadilha. Para outros, é o único caminho, uma paixão e uma missão.



3 comments:

neigrando said...

Parabéns Gustavo por esta bela resenha. É um livro de motivação que incentiva o empreendedorismo, realizar sonhos, fazer acontecer.

Derek Sivers segue a linha de Seth Godin, de aprender fazendo, de ir com a fé e a coragem, cair e levantar, seguir em frente. Esta é a escola do Just-do-it. Existe também aqueles que exageram no Planejamento com Planos de Negócios extensos cansativos e cheio de hipóteses e até mesmo adivinhações. Neste sentido penso que precisa existir certo equilíbrio entre Paixão/Execução e Plano/Método que pregam Alexander Osterwalder, Steve Blank e Éric Ries nos livros Business Model Generation, The Four Steps to the Epiphany e Lean Startups. Abraços, @neigrando

matheusxy said...

Gostei mesmo da resenha. Parabéns Gustavo!
Um ponto para debatermos aqui nos comentários:
A impressão que tenho é que as dicas de criar negócios tão lucrativos do nada, só funcionam para norte-americanos. Qual é a opinião de vocês que leram o post?

gabrielrb said...

Valeu pela resenha. Curti a objetividade do livro. E me deu novas inspirações.

Teste de Memória