Search This Blog

Tuesday, October 19, 2010

Resenha do livro Rework da @37Signals



Na última semana terminei de ler o excelente e mais recente livro da 37Signals, REWORK de Janson Fried e David Heinemeier Hanson, sócios da empresa. Achei o livro fantástico, atual e motivador. Me fez repensar a maneira de fazer muitas coisas. É intrigante e contagiante. Comecei a ler no iPad, passei pelo iPhone e terminei no Kindle. 

O livro repete muitos dos conceitos de ‘Getting Real’, o primeiro livro deles, porém, é bem mais completo. A ilustrações que abrem cada tópico do livro, são fantásticas. Confira.

Como dito pelos autores, Rework, é um livro de receitas. Cabe, então,  a quem lê, utilizá-las adicionando seu toque especial e pessoal.

Abaixo meus comentários, os pontos que mais gostei e utilizei o recurso de highlight do Kindle, ponto esse, que será tema de um outro post:

  • Nós somos intencionalmente uma pequena empresa que cria software para ajudar penas empresas e grupos a fazer as coisas acontecer de uma maneira mais fácil.
  • Os grandes críticos não entendem como uma empresa pode rejeitar crescimento, reuniões, orçamento, corpo diretivo, propagandas, representantes comerciais, e “o mundo real”. Eles não acreditam que seja possível ter funcionários que quase nunca se veem, espalhados por oito cidades em dois continentes. Eles dizem que você não pode ter sucesso sem fazer uma projeção financeira e planos para os próximos cinco anos. Eles estão errados, nós provamos isto e escrevemos este livro para provar à você que eles estão errados!
  • É hora de retrabalhar o trabalho.
  • Ignore o mundo real. Ignore aqueles que vivem dizendo que não vai dar certo.
  • Planejamento é achismo. Adivinhação. (Polêêêêêmico).
  • Há muitos fatores que estão fora de nosso controle: condições do mercado, concorrentes, clientes, economia, etc. Escrever um plano de negócios te dá a sensação de estar no controle das coisas que você não pode controlar. Planejamento nada mais é do que achismo, adivinhação.
  • Planos deixam o passado conduzir o futuro. Isso causa cegueira, tapa sua visão.
  • Você tem mais informações quando você está fazendo algo e não antes de ter começado à fazer.
  • Decida o que você vai fazer esta semana, não este ano.
  • Qual o problema de encontrar o tamanho certo e permanecer nele? Não qualificamos as melhores universidades por elas terem muitas filiias, na verdade, as melhores não tem. Interessante.
  • A cultura corporativa atual cultua a figura do Workaholic. Os workaholics também passam do ponto. Eles até mesmo criam crises. Eles não procuram maneiras de serem mais eficientes porque eles gostam de fazer horas extras. Eles gostam de se sentirem como heróis. (vou além alguns deles nem gostam da família que esta em casa) 
  • Workaholics fazem com que as pessoas que não ficam até tarde no serviço se sentirem inadequadas por “meramente”  trabalhar o  convencional.
  • Os workaholics não são heróis. O verdadeiro herói já está em casa porque ele encontrou uma maneira mais rápida de fazer as coisas acontecerem.
  • Todos deveriam ser encorajados a iniciarem seus próprios negócios.
  • O termo empresário está ultrapassado. Este termo deveria ser substituído por “starters”.
  • Faça a diferença.
  • Para fazer um grande trabalho você tem que sentir que está fazendo a diferença. 
  • Faça algo maior, significativo e sinta que você é parte de algo realmente importante.
  • Fazer algo importante não significa necessariamente descobrir a cura do câncer. (mas se descobrir isso será fantástico.)
  • O que você faz é o seu legado.
  • Quando você resolve o seu próprio problema, uma luz se acende e você sabe exatamente qual é a resposta.
  • É melhor fazer parte de algo que você realmente se preocupe.
  • Comece fazendo algo!
  • O que você faz é o que importa, não o que você pensa, diz ou planeja.
  • Até você começar a fazer algo, sua idéia brilhante, é apenas uma idéia.
  • Idéias são baratas e abundantes. A questão é como você as coloca em prática ou as executa.
  • Falta de tempo não é desculpa. Trabalhe na sua idéia a noite ao invés de assistir TV. De vez ir para a cama as 22:00, vá as 23:00.
  • Fazendo isso,  você saberá se sua idéia é algo real ou apenas algo passageiro.
  • Não se deixe levar pelas desculpas. É sua responsabilidade fazer seus sonhos virarem realidade.
  • Grandes negócios tem um ponto de vista, não um produto ou serviço.
  • Quando você não sabe no que você acredita, tudo é discutível, porém, quando você defende algo, as decisões são óbvias.
  • Grande parte das empresas não precisam de infraestrutura dispendiosa — especialmente hoje em dia.
  • Você precisa menos do que pensa.
  • Grandes empresas começaram em garagens. A sua também pode.
  • Um empresa sem um caminho claro para os lucros não é um negócio, é um hobby. 
  • Menos massa. Assim você poderá mudar de direção facilmente a qualquer momento.
  • Menos é uma coisa boa.
  • Limitação de recursos força você a fazer as coisas com o que você tem.
  • Você pode transformar uma grande concentração de idéias em lixo, basta tentar executá-las de uma só vez. Corte sua ambição pela metade.
  • Trabalhe na idéia principal. Olhe para o epicentro.
  • Ignore os detalhes. Perde-se muito tempo em coisas que realmente não importam.
  • Trabalhe no básico primeiro, deixe os detalhes e customizações para mais tarde.
  • Comprometa-se com tomadas de decisões. Sempre que puder, troque “Vamos pensar sobre isso” por “Vamos decidir isso”. Não espere pela solução perfeita. Decida e avance.
  • Decisões significa progresso. A cada decisão tomada é um tijolo a mais em sua fundação.
  • Você não faz um grande museu colocando todas as obras em um único quarto. Isto é um armazém.
  • O núcleo do seu negócio deve ser construído em torno das coisas que não mudarão. Coisas que as pessoas vão querer hoje e daqui há 10 anos. É nisto que você deve investir.
  • O foco da 37Signals, está em coisas como velocidade, simplicidade, facilidade de uso e clareza.
  • Foque em coisas permanentes, estas nunca saem da moda.
  • Foco no essencial. Você vê muitas pessoas que querem “blogar”,  fazer um podcast, ou gravar um vídeo mas que ficam travadas pensando sobre qual tecnologia usar. O conteúdo é o que importa.
  • Lance já (seu produto ou serviço). Estabeleça um prazo e corte o que desnecessário. Quando você define metas e prazos, fica fácil decidir o que cortar. É instintivo
  • Reuniões são tóxicas.
  • Pequenas vitorias que geram entusiasmo e liberam boas notícias.
  • Não queria ser o herói. Peça ajuda. As vezes a solução está na sua cara mas você não consegue enxergar.
  • Todos somos péssimos em estimativas.
  • Quebre grandes projetos em pequenas partes. Quanto menor for mais “fácil” para estimar. Você provavelmente vai errar, mas o impacto será menor.
  • Listas longas não são concluídas e acumulam poeira. Faça lista curta de tarefas.
  • Tome decisões pequenas. Grandes decisões são difíceis de tomar e difíceis de mudar.
  • Algumas vezes a cópia faz parte do processo de aprendizagem. Seja influenciado mas não roube (copie).
  • Coloque um pouco de você em seu produto ou serviço. Assim os competidores não conseguiram copiar seus produtos e serviços na integra.
  • Compre briga. Seja o “anti-algo”. Esta é uma grande maneira de se diferenciar e atrair seguidores.
  • Ter um inimigo permite que você tenha  uma grande história para contar aos seus clientes.
  • Foque em você. Quando passa muito tempo pensando nos outros desperdiça-se o tempo que poderia se investido para melhorar à si próprio.
  • Muito foco nos seus competidores te torna reacionário e não visionário.
  • Diga não por padrão. Use o poder do não para alcançar suas prioridades.
  • As pessoas evitam “não” pois o confronto é desconfortável mas a alternativa é sempre pior. Você assume coisas complicadas e trabalha em coisas que não gosta e não acredita.
  • Pessoa e situações mudam. Você não pode ser tudo para todos.
  • Não confunda entusiasmo com prioridade.
  • Aproveite enquanto não é conhecido. Use esse período para errar sem que o mundo todo fique sabendo. Teste coisas aleatórias, teste novas idéias.
  • Audiência é diferente de seguidores. Quando você constrói uma audiência você não precisa comprar a atenção das pessoas, elas dão isso à você.
  • Como proprietário do seu próprio negócio, você deveria compartilhar tudo o que sabe. É assim que os grandes chefes de cozinha fazem.
  • Este livro é o ‘Livro de Receitas’ da 37Signals.
  • Não tenha medo de mostrar suas imperfeições. Imperfeições são reais e as pessoas reagem ao real.
  • Siga o modelo dos vendedores de droga. Eles te deixam provar inicialmente sem pagar.
  • Marketing não é um departamento. Marketing é a soma de tudo o que você faz, como atender ao telefone, enviar um email, blogar, etc...
  • Tudo é Marketing!
  • O sucesso não acontece da noite para o dia. Não acredite em quem diz o contrário.
  • Antes de contratar alguém faça a tarefa você mesmo. Assim você  entenderá a natureza do serviço. Você saberá como é que o “trabalho bem feito” deve ser. Conseguirá  montar um descrição de cargo condizente com o serviço. Além é claro que você será muito melhor gestor, pois conhecerá o trabalho e poderá criticar quando necessário assim como apoiar quando preciso.
  • Currículos são ridículos. Gary Vaynerchuck defendeu muito bem este tema em seu livro ‘Crush It! Miguel Cavalcanti recentemente em seu blog também “causou” uma boa discussão nos comentários em um post sobre contratação.
  • Contrate pessoas que saibam escrever.
  • Escrever hoje, é moeda para grandes idéias.
  • Quando algo dá errado, conte aos seus clientes. Se antecipe e conte para todos, caso contrário alguém fará isso e a versão pode não ser a sua. Recentemente Jonny Ken deu uma aula de gerenciamento de crise com o problema pelo que passou com o migre.me (o datacenter teve um problema e perdeu todo o banco de dados da aplicação). Antes que os boatos começassem gravou um vídeo explicando exatamente tudo o que ocorreu. E após a solução gravou outro.
  • Não invente problemas que você ainda não tem. Não é um problema até que se torne real. Afinal muitos nem tornem de fato problema.
  • Quando você trata pessoas como crianças, como resultado você obtém trabalho de criança.
  • Quando tudo em sua empresa precisa de aprovações, você cria uma cultura de pessoas que não pensam. Você cria uma relação chefe-versus-funcionário que deixa evidente, “Eu não confio em você”.
  • Não tenha medo de ser você! Isto se aplica à tudo. Escrevendo e-mail, falando com clientes, entrevistas, postando no blog, apresentações. Fale com seus clientes do jeito que você falaria com seus amigos.
  • Não complique. Não use sete palavras se cinco, são suficiente.
  • Escreva para ser lido, não escreva por escrever.
  • Inspiração é perecível. Idéias são imortais. Inspiração é o agora.
  • Reformule. Repense!
Share

6 comments:

Olavo said...

Para variar, parabéns pela resenha! :-)
Identifiquei muitas coisas relacionadas ao meu momento (I must ReThink!).
Também pude identificar 2 frases destacadas por ti e que respondem a sua pergunta na nossa conversa pela manhã de hoje: "Faça a diferença" e o "O que você faz é o seu legado.".

AC said...

Simplicidade, sofisticação e resultado...

neigrando said...

Gustavo, os livros que você lê são ótimos, as resenhas que focê faz também são.

Muitos dos pontos mencionados em seu resumo são comuns a muitos outros livros similares, como o: Trabalhe 4 Horas por Semana, de Tim Ferris; O Livro Negro do Empreendedor; Making Ideas Happen; Trust Agents; Blink, de Malcolm Gladwell e outros. Concordo com muitos pontos, tenho que pensar em outros, pois acredito que Planejar é colocar as idéias no papel (pelo menos num Briefing)e também gosto de Pensar antes de Agir.

O texto me incentivou a ler o livro, mas talvez em vez de ler eu deva partir para ação, o que você acha? Você concorda com estes pontos? Você também pensa assim?

Um granda abraço, do seu amigo,

Nei Grando

Gustavo said...

Nei,

Concordo com todos os pontos que você citou. Acho que deve prater para a ação já mas se tiver um tempinho, leia o livro, é muito bom!!!!

Abraços

Daniel Chohfi said...

Realmente fantástico! Conceitos mais atuais e "reais" do que as premissas da 37 Signals são praticamente impossíveis de serem encontrados. Profissionais que levam a sério a questão do Get Things Done também são raros, por isso parabéns e obrigado Gustavo!

Como usuário fanático dos produtos Highrise, Backpack, Basecamp e Campfire, só posso afirmar que o apresentado no livro é colocado em prática nos softwares da empresa. É impressionante a usabilidade, praticidade e realismo do mercado que estes conceitos em prática disponibilizam. São centenas de cópias dos sistemas espalhados pela web, e nenhum parece que entendeu realmente o conceito da 37 Signals.

"Less is better", amazing! Quando que poderíamos pensar desta forma sem mentores jovens porém macacos velhos do marketing e da tecnologia? Teríamos que bater muita cabeça até chegar no que vemos todo dia. Agradeço mesmo a estes conceitos e sistemas terem florescido a fim da melhoria contínua do atendimento, da organização, da comunicação e do desenvolvimento.

Porém há muito a ser melhorado. Já enviei muitos e-mails para a 37 Signals que não foram respondidos. Sugestões, opiniões, críticas e elogios, claro! Já introduzimos os sistemas em clientes que não obtiveram sucesso com seu uso devido a alguns detalhes como a falta de liberdade que poderia ser facilmente desenvolvida, justificada ou melhor orientada. Destaco alguns pontos realmente importantes e básicos que deveriam obter uma atenção maior da mesma. A APP para o iPhone do Highrise possui um bug que está aberto a muitos meses sem interações da agência. http://bit.ly/9AwpfY É possível visualizar contatos, tarefas e notas, porém Deals (os seus negócios propriamente ditos, quanto entra hoje e quanto entra amanhã), não é possível. A APP concorrênte chamada Top Floor é uma charlatanice fantástica também.

A integração dos 4 sistemas deles também deveria existir. Este é o ponto mais importante e não vemos esta perspectiva. Isso sim é algo fundamental. São apenas exemplos de como mesmo os melhores (pra mim, os caras são os mais visionários, reais e dão um banho em cima do pessoal da Sales Force, SAP e concorrência) podem ser superados em prol de você, de mim e do mercado.

De uma forma geral, sem sombra de dúvidas que a 37 Signals é o início de um novo futuro. Todos os conceitos revisados pelo Gustavo são de extrema importância e, comparados ao que vemos hoje nas empresas, são sucesso absoluto se colocados em prática. É necessário adaptar às suas necessidades e realidades, porém se você discorda, sugiro que veja dois vídeos que descrevem na prática os conceitos explorados: http://bit.ly/bsNZSQ e http://bit.ly/9qyWHQ.

Gustavo obrigado mais uma vez pela review e vamos aguardar as próximas! Abraços!

Matheus Ribeiro said...

Olá Gustavo!
Adorei o post
Tomei a liberdade de divulgar o link para a sua resenha no meu blog.
http://www.maisprodutivo.blog.br/2011/02/por-que-nao-se-trabalha-no-trabalho.html