Search This Blog

Wednesday, October 05, 2005

Microsoft financia PCs para África do Sul e critica Linux


Por Rebecca Harrison

JOHANESBURGO (Reuters) - A Microsoft está financiando centros de computação na África do Sul com a expectativa de atingir meio milhão de pobres no país. A companhia afirmou na segunda-feira que software livre nem sempre é a melhor opção para os países em desenvolvimento.

Steve Ballmer, presidente-executivo da Microsoft, declarou em entrevista coletiva na África do Sul que a gigante norte-americana fornecerá softwares gratuitamente para centros de tecnologia instalados em 284 municípios do país mais rico do continente africano. Os centros serão dirigidos a moradores sem acesso a computadores.

A gigante do software também realizará treinamentos e cuidará da manutenção dos computadores nas "aldeias digitais", mostrando aos usuários como navegar na Web e como usar os programas Microsoft, disse Ballmer em Johanesburgo, recusando-se a discutir o custo do projeto.

"A tecnologia da informação é uma grande capacitadora...Esperamos atingir 500 mil pessoas que não têm acesso a computadores", declarou Ballmer.

O lançamento surge no momento em que a África do Sul começa a enfrentar pressão de alguns grupos industriais, liderados por Mark Shuttleworth, primeiro africano a viajar ao espaço, pela opção por soluções de fonte aberta, em lugar de gastar dinheiro dos contribuintes com aplicativos da Microsoft.

Ballmer disse que os governos não deveriam optar necessariamente por alternativas de código aberto, mesmo nos países em desenvolvimento em que softwares caros podem impedir a expansão do acesso das comunidades mais pobres aos computadores.

"Os governos deveriam ser abertos em todos os sentidos, abertos a estudar todas as alternativas", disse Ballmer a um grupo de profissionais do setor. "Estamos falando de livre escolha e não só de fonte aberta."

Países de mercados emergentes como Brasil e China optaram por encorajar uso mais amplo de sistemas operacionais livres como o Linux, que concorre com produtos da Microsoft, mas o governo da África do Sul diz que vai estudar a questão caso a caso, sob o princípio da liberdade de escolha.

"O software de fonte aberta é viável? Digam-me o que vocês querem e eu lhes direi porque fazemos melhor", disse Ballmer. "Estamos competindo com o Linux, e competiremos muito, muito bem."

Ballmer, que passou pela África do Sul em sua viagem para Bruxelas para encontrar-se com a secretária de defesa da concorrência da Comissão Européia, Neelie Kroes, não comentou por que pediu a reunião ou o que ele espera discutir.

Fonte: Reuters


Share

No comments: